SETEMBRO AMARELO. ATENÇÃO E CUIDADOS - Jornal O Estado

“A vida só se dá

para quem se deu.”

VinÍcius de Moraes

Alguns jovens, por seus comportamentos, sofrem em escolas, colégios e até em cursos superiores, o nominado “bullying”, tornando-os dissonantes da maioria dos grupos a que pertencem.

Somatizam essas dores, na maioria das vezes não compartilhadas com a família e amigos, se os tem. Hoje, com o uso abusivo da Internet, há uma intoxicação de informações de má qualidade e de duvidoso sentido ético. Quem se conhece, na verdade?

Fique claro, não só os jovens merecem atenção e cuidados. Todos somos seres carentes, precisamos viver em grupos e descobrirmos os nossos conflitos. Muitos conflitos e aflições são comuns aos outros. Converse, escute e aja. A vida é dom valioso.

Por estas e outras razões, estou apoiando e participando, neste mês de setembro, de campanha de assunto tido como tabu e complexo para muitas pessoas e a maioria das famílias: a conscientização sobre a prevenção ao suicídio.

Juntos, nessa empreitada, estão o Instituto Bia Dote, o Programa de Apoio à Vida – PRAVIDA (997387244-Talita) do Ambulatório de Saúde Mental do Hospital Walter Cantídio da UFC (Rua Capitão Francisco Pedro, 1290, Porangabussu, Fortaleza), o Centro de Valorização da Vida (atendimento gratuito pelo fone 141) e o Shopping Benfica, local aonde acontecem os vários eventos, a partir de um grande Laço Amarelo simbólico. As pessoas deixam mensagens, em “post-it” – de apoio à prevenção ao suicídio. O laço está pleno de mensagens.

A par disso, desde o dia 08, ocorre o Ciclo de palestras “Males da Modernidade”, sendo o primeiro tema “Suicídio – conhecer para prevenir”. Na segunda, dia 11, foi realizada sessão especial com o filme “As vantagens de ser invencível”.

Hoje, 15, às 15 horas, será discutido o tema “Como superar e vencer a timidez”. Já no dia 22, próxima sexta, também às 15 horas, será discutido o tema “Elos conflituosos entre pais e filhos”. O encerramento do ciclo será no dia 29, outra sexta-feira, mesmo horário, com “Mentes e Manias”.

Como se vê, há um largo espectro de palestras sobre assuntos que circundam a prevenção ao suicídio. Além disso, segunda-feira, 11, houve atendimento psicológico com o Centro de Valorização da Vida-CVV, durante nove horas seguidas.

As estatísticas informam. Há 12 mil suicídios por ano no Brasil ou mil em cada mês. O Ceará está no 5º lugar em mortes autoinfligidas e Fortaleza é a 3ª capital com maior número de óbitos por esse viés.

Então, o que fazer? Não admitir serem consideradas tolices os reclamos repetidos de jovens e de pessoas outras acometidas por doenças sociais leves ou graves. Há ainda os casos de desempregados e aposentados.

Alguns se consideram peso para as suas famílias. É preciso conversar e, principalmente, ouvir e aceitar as queixas, sejam reais ou imaginárias.

Sabe-se ser preciso um conjunto de razões, que vão se somando, para induzir qualquer pessoa à tentativa de suicídio. Por tal fato, não se deve subestimar o comportamento estranho de filhos, cônjuges, parentes e amigos que, repetidamente, se queixam.

Precisamos apresentar caminhos e não apenas criticá-los. Procurar ajuda de psicólogos, psiquiatras, psicanalistas é uma medida necessária. O CVV atende de forma gratuita e alguns hospitais públicos, também.

Viver é um edifício construído peça a peça, com diversos tijolos, argamassas e telhas, carregados por nós. Há sempre questionamentos, incertezas e fases de desânimo. Não deixe ninguém do seu conhecimento se isolar. Essa pessoa deve procurar amigos ou ajuda médica. Vale a pena viver.

João Soares Neto,

escritor

 

CRÔNICA PUBLICADA NO JORNAL O ESTADO EM 9/15/2017.

JOÃO SOARES NETO

CRONISTA